Não Culpe o Capitalismo



Pessoal, eu,

Anselmo Heidrich, o Fernando Raphael Ferro de Lima e o Luis Lopes Diniz Filho,

administradores dos blogs


respectivamente, acabamos de lançar um libelo da GEOGRAFIA ANTI-MARXISTA, o 1º do país!

Prestigiem...

Compre o livro NÃO CULPE O CAPITALISMO nos links abaixo:




segunda-feira, setembro 29, 2014

Levy Fidelix vs Luciana Genro - Debate Presidencial na Record - 29/09/14




Levy Fidelix vs Luciana Genro - Debate Presidencial na Record - 29/09/14: http://youtu.be/4LxL1xKbbcI via @YouTube


A melhor explicação que já vi para o homossexualismo era que a natureza condicionava um certo número de indivíduos para ser homossexual, com a função de que os machos não brigassem continuamente entre si e preservando assim a estabilidade do grupo. "Melhor explicação", porém falsa... a "Mãe Natureza" não é um ente consciente que sabe o que faz, isto não existe. O que existe são acasos evolutivos, que vez por outra se tornam apropriados para uma situação, como animais menores, menos competitivos de outrora que em uma era de escassez de alimentos como a glacial se tornam bem mais competitivos que os grandes répteis que dominaram nossas superfície. Então, por mais que uma 'função' para o homossexual seja encontrada, nada disto se torna causa de um fenômeno. A causa pode ser natural, devido a variabilidade genética, só que esta tem que ser provada e ainda é mera conjectura. Portanto, a mais plausível é de que este comportamento foi socialmente adquirido. Acredito que ambas as formas existam, mas não dá para crer que uma população de uma cidade estado na antiguidade grega tenha concentrado certos "genes gays" ao passo a que outras não ou que em um prazo de séculos tais genes tenham sumido ou reduzido abruptamente sem ter porquê. Não há lamarkismo nem conservadorismo suficientes para explicar ou para condenar a grande soma de comportamentos homossexuais encontrados entre mamíferos.  

AGORA... 

Se cabe aceitar que existam -- porque não se luta contra a natureza, mas se adapta a mesma --, isto não me impede de concordar com Enéas, quando disse que o homossexualismo deve ser respeitado, mas não é o padrão e não deve ser modelo, sob risco de termos uma redução populacional. Em resumo, transem a vontade, mas não queiram que a imensa maioria da sociedade aceite a imposição de um modelo em suas instituições. Aprendam que tolerância não significa mímesis.

Mas, marca toca pra ver se ele não avança nesta corrida...

sábado, setembro 20, 2014

Equívocos marxistas - 01


1 - O marxismo não acabou... Assim como as religiões também não acabaram;

2 - O marxismo pode ser ótimo na teoria, mas na prática... Ele é ruim na teoria mesmo, porque teoria não é algo distante da prática, mas algo que explica a prática;

3 - O marxismo é uma forma de determinismo... Sim, na medida que procura prever acontecimentos de grande envergadura conduzindo sociedades inteiras a partir do jogo de forças entre coletividades como classes, ele prega sim uma forma de determinação através de uma relação entre causa e efeito previsíveis;

4 - O marxismo é contrário à natureza humana... Quando pressupõe que a natureza humana é marcada pela solidariedade (assim como o randiano acha o contrário, que somos egoístas por natureza, ambos equivocados);

5 - O marxismo reduz tudo à economia... Na verdade, uma visão torpe da economia ou, para dizer a verdade, marxistas não entendem de economia porque consideram que o problema fundamental da economia não são os recursos escassos e sim o conceito de exploração;

6 - O materialismo marxista é desumano, contra aspectos espirituais... Na verdade não é desumano, é burro mesmo, ao colocar toda manifestação cultural, "espiritual", como se dizia antigamente como mero reflexo das "condições materiais", que seriam suas relações de produção (relações de propriedade, em linguagem não marxista) e forças produtivas (tecnologia, em linguagem não marxista);

7 - Nada é mais ultrapassado que a noção de classe... Eu não diria "ultrapassada", mas limitada mesmo ao ponto de não ser útil para entender a maior parte dos conflitos políticos e étnicos dos últimos milênios;

8 - O marxismo prega a violência... Para os outros, pois cabe à cúpula partidária "dirigir as massas" e, portanto, para atingir a suposta "sociedade igualitária", o processo revolucionário é sumamente desigual havendo os "Sansões" (para lembrar o romance de George Orwell) que são trabalhadores tratados como cavalos rumo ao abatedouro ou à guerra para impor seu processo revolucionários (os kulaks que o digam...);

9 - O marxismo idolatra o estado... Errado, na visão de Marx, o estado sequer era considerado teoricamente, não havendo uma teoria da burocracia, nem de agentes de permanência, como a antiga nobreza que se adequou migrando para cargos de poder político e estamentos na estrutura pública;

10 - Do ponto de vista político, o marxismo foi substituído por pautas mais adequadas, como ambientalismo, causa lgbt... Ou dito de outra forma, o marxismo vulgar (uma vez que a maioria dos seus militantes nunca leu Marx...) se infiltrou em outras causas deturpando-a (como na ambiental) e se reproduzindo como um câncer em metástase sobre as mentes incautas e preguiçosas. .